Sexta-feira, 4 de Abril de 2008
Parabéns, Sr. Procurador-Geral...

Ouvi hoje (3-4-08) o Sr. Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, referir-se à violência nas escolas, após audiência com o Sr. Presidente da República. Apercebi-me da veemência com que se referiu ao "flagelo" e, mentalmente, aplaudi-o, concordando em absoluto que o "fenómeno" (é assim que, de forma "politicamente correcta", se designa) não é de hoje nem se resume ao "dá-me o telemóvel... já!"

 

Como quase tudo em Portugal, também este acto está já a ser alvo de "lavagem" para cair no esquecimento. O que é mau e é pena!

Eu próprio, já ouvi e contestei comentários que se viram agora contra a Professora... do género de "ser a prova" de que os Professores não querem é trabalhar, "pois ela até aproveitou para umas fériazitas, alegando estar com depressão". Como é possível? É esta a reacção que merece a certos "adultos" um acto de indisciplina tão claro e violento? São jovens destes que queremos "amanhã" a dirigir os destinos do País... quem sabe?

Felizmente, não sou só eu a pensar desta forma; também Mário Crespo - segundo um artigo colocado no "Oeiras Local" -, escreve sarcasticamente no "JN" que "Não houve braço-de-ferro nenhum" e que pode ser lido AQUI. Nada de mais verdadeiro...

O alerta do Procurador-Geral foi notícia em rádios, televisões e jornais. Aleatoriamente, escolhi o "PortugalDiário" para que os "menos atentos" saibam o que ele disse:

"Violência: escolas têm o dever de denunciar

PGR diz que há alunos que levam pistolas. E facas «são às centenas»". (Ler AQUI).

Deixemo-nos de cinismos e admitamos todos que há anos que assim é! Pena, que apenas alguns o venham denunciando, que tem sido o mesmo do que "pregar no deserto"!

Agora, que a actual "menistra" da Educação dê tão pouca importância ao assunto, aí é que começa a ser mesmo assustador e perigoso.

"Ministra «preocupada» com armas nas escolas

Ainda assim, a preocupação manifestada pelo Procurador-Geral da República não encontra grande eco, uma vez que a ministra da Educação preferiu cingir-se aos números, nunca querendo comentar casos concretos ou até as próprias declarações de Pinto Monteiro.

Certo é que, no último ano lectivo, só a PSP apreendeu 260 armas: 13 armas de fogo, 165 armas brancas e 82 de outro tipo, normalmente réplicas de armas de fogo. Segundo a polícia, 64 por cento das ocorrências relacionadas com armas envolvem a utilização de facas ou canivetes, mas em cinco por cento dos casos são usadas armas de fogo adaptadas. Maria de Lurdes Rodrigues escusa-se a comentar estes números, limitando-se a dizer que «o ministério recolhe os dados, compila-os e reporta-os publicamente»".

É preciso ter lata! Actuar a sério, só na avaliação de Professores, não, sra. "menistra"?

Pessoalmente, até posso dar-lhe um exemplo que parece já estar esquecido de todos: o do Professor da Escola Preparatória Joaquim de Barros, em Paço de Arcos, a quem um desses "bem-comportados" aluno incendiou o carro como vingança... Creia que há mais (assisti a outros menos graves mas preocupantes), mas nem todos chegam a ser conhecidos cá fora, por medo de iguais represálias!

Mas, sra. "menistra" e demais descrentes, dou outro exemplo, que foi também notícia no Expresso de 25 de Março, sob o título:

"Novo exemplo de indisciplina na escola

Professora inerte perante chacota na aula".
 
Trata-se, certamente, de "bons e aplicados" alunos, mesmo sem telemóvel...
Caros leitores, se ser "velho do Restelo" (no sentido depreciativo que lhe dão) é estar contra este estado de coisas, contra o laxismo do Estatuto do Aluno, contra o "assobiar para o lado" da "menistra" da Educação... Então, eu sou um "velho do Restelo". Não se depreenda que sou defensor de alguma - repito, alguma - repressão existente no meu tempo de aluno nos corredores e salas de aula de escolas e liceus, mas que o "deixa andar" e a falta de autoridade chegaram a um ponto insuportável e intolerável, não tenhamos qualquer dúvida. Aliás, no dia em que recomeçaram as aulas, alguns alunos da Escola Secundária Carolina Michaelis asseguraram a reportagens televisivas que vão continuar a levar e a usar telemóvel na sala de aulas. "Se a professora proíbir, saio da aula", disse mesmo um deles!
Mas, o pior, é que noutras escolas, estes actos já começam a ser tidos como "naturais", seja por medo ou demasiada compreensão. Se for o primeiro caso, percebo; o segundo já não!
Jornal da Noite - SIC Online - (in Vídeos Sapo):
 
Este preocupante tema - a violência nas escolas -, esquecem alguns, é depois transportado para a vida real, para as ruas e passa a ser problema de TODOS NÓS!
Sei que existem mil e uma desculpas - baixo nível de escolaridade dos pais, consumo de álcool ou drogas por alguns casais, desemprego e pobreza... tudo o que quiserem...!
A quem pensa assim deixo dois recados:
1.º - O nível de pobreza (quanto mais os outros...) não tem nada a ver com a agressividade das crianças e jovens;
2.º - Se assim fosse, porque se queixam alguns "paizinhos" quando aos filhos são roubados telemóveis nas escolas? Quem os manda oferecerem aparelhos topo-de-gama a crianças de oito, nove e dez anos? Estão à espera de quê?
Não sejamos cínicos: é a pura verdade!
Depois, "habituados" que estão a serem sempre "perdoados" e "compreendidos", praticam actos destes... (in PortugalDiário)
"Atropelamento: conduz sem carta desde os 14 anos
Jovem atropelou dois rapazes em Gondomar e fugiu. Um deles ficou em perigo de vida."
Não sei se o viram sair do Tribunal, mas que o "moço tem pinta"...
E sabem o que decretou o Tribunal?
"Atropelamento: condutor que fugiu fica em liberdade
... aguarda em liberdade a decisão do Ministério Público (MP), que deverá ser tomada quarta-feira".
Aguardemos também!
Percebemos, compreendemos, somos benevolentes, abominamos a autoridade, negamo-nos a traumatizar as nossas crianças e jovens... até que aconteçam casos como o dos EUA, em que crianças de 8 e 9 anos (munidas de algemas, fios eléctricos e facas) pleneavam matar a Professora.
Nesse dia, cairão "o Carmo e a Trindade"? Vamos esperar até lá?


Publicado por rui.freitas às 01:28
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

2 comentários:
De Zé da Burra o Alentejano a 4 de Abril de 2008 às 09:06
Se repararmos na Natureza, nas comunidades de animais há sempre indivíduos que procuram tornar-se líderes dentro dessas comunidades e para atingir um estatuto superior testam os seus iguais e confrontam-se com eles para imporem a sua autoridade e atingirem a posição de líderes; alguns não chegam ao topo, ficam em posições abaixo: 2.º, 3.º lugar etc. estabelece-se enfim uma hierarquia que é respeitada por toda a comunidade até que apareça um novo líder: normalmente um elemento mais jovem e robusto que consegue destronar o líder anterior.
Nos seres humanos passa-se exactamente o mesmo e tal é observado nos empregos, nos clubes, nos partidos políticos, nas escolas e até em nossas casas. Até de entre os que seriam em princípio iguais se estabelece uma relação hierárquica. O poder e a liderança ganham-se suplantando os iguais e os concorrentes, mas também é preciso exibir essa qualidade aos restantes membros do grupo para que o líder seja por eles reconhecido e respeitado. Então, como chefe poderá beneficiar de privilégios vários que me escuso de enumerar.

A delinquência e violência mais graves que se observam nas escolas são precisamente o processo de luta para atingir, exibir e ganhar um estatuto superior na escala da liderança sobre colegas, professores e funcionários e, uma vez conseguida essa posição há que mantê-la, demonstrando o facto constantemente porque há sempre um aspirante a líder à espreita.

Assim, quem defende que a escola deve funcionar como uma “democracia” está completamente enganado:
1.º) A escola nunca poderá ser uma democracia porque os alunos candidatos a líderes vão por à prova os seus professores, funcionários e próprios colegas, para tentar dominá-los e exibir a sua liderança. Isso não pode acontecer: a autoridade do professor nunca pode ser ultrapassada pelo aluno. Em muitos casos isso já aconteceu e eis aí porque uma turma respeita um professor e não outro. Os professores com uma personalidade mais frágil são facilmente dominados e muitos acabaram por abandonar a profissão;
2.º) As verdadeiras democracias também não existem, nem entre nem dentro dos próprios partidos. O que existe é muita luta entre partidos pela liderança do país e muita luta pela liderança dos partidos dentro deles, novos líderes estão sempre à espreita. Isto não tem nada de estranho e passa-se em qualquer outro lugar em que haja o exercício do poder. Para se chegar ao topo há que ultrapassar muitas barreiras e os adversários ficarão sempre à espreita para depor o líder logo que seja oportuno.

Os nossos filhos começam desde muita tenra idade a testar os pais e os possíveis irmãos para verem de que forma conseguem obter aquilo que desejam: choram, berram, batem o pé, chegam a bater-nos: começam com um sacudir de mão, depois dão uma “palmadinha” e se não os pararmos em breve crescerá a sua ousadia. Os pais sabem-no bem!

Zé da Burra o Alentejano



De rui.freitas a 5 de Abril de 2008 às 02:53
Com todo o respeito que me merecem as gentes do Alentejo, vou tentar responder-lhe de forma directa, sintética e séria... porque de assunto muito sério se trata!
Caro "Zé da Burra", você termina o seu comentário como o devia ter começado, colocando o "dedo na ferida", quando diz que os filhos (alguns... cada vez mais...) "choram, berram, batem o pé, chegam a bater-nos (...) e se não os pararmos em breve crescerá a sua ousadia".
Foi exactamente isso que, intrinsecamente, pensava ter deixado expresso no meu "post", não culpando apenas os filhos (crianças e jovens) mas sobretudo os progenitores/educadores (?). Esses, sim, são os verdadeiros culpados. Os filhos querem uns ténis de marca: os papás dão; o último modelo da Playstation, os papás dão; o mais moderno I-Pod, os papás dão, e assim por diante. Tudo passa a ser fácil, graças ao facilitismo que os papás permitem, logo, quando não obtêm o que desejam... "testam" a autoridade, primeiro com o choro, depois com o berro, a birrinha, e finalmente - se lhes forem permitidos os primeiros -, com o recurso à violência!
Você mostra um perfeito "retrato" da luta pelo poder (e dou-lhe razão, infelizmente, no que concerne à área política e a algumas empresas), esquecendo que a mesma é aceite no reino animal (vence o mais forte), NÃO O DEVENDO SER entre os "humanos". É uma referência aos "espertos" (os ditos "chicos"), omitindo os inteligentes!
Também por isso, concordo em absoluto consigo, quando diz que a escola não deve funcionar como uma "democracia", sem com isso dizer o seu contrário: "ditadura". Há que encontrar o meio-termo.
Não sei que idade terá, mas espero concorde comigo nas seguintes questões:
Ser jovem é ser irreverente, contestatário, insatisfeito; é querer ir mais longe, mais alto, mais além... Entre os 15 e os 25 anos, que jovem não se acha capaz de conquistar o Mundo? É assim, sempre foi e será assim!
"O poder e a liderança ganham-se suplantando os iguais e os concorrentes", diz você. Correcto!
Não pela coacção mas pela persistência; não pela agressão (verbal ou física) mas pela justeza dos seus actos; não pela violência gratuita mas pela forma como "arrastamos" os demais com a força das nossas ideias.
É essa a minha maneira de olhar a vida. Não a concebo de outra forma!
Quantas Mulheres, quantos Homens (quiçá franzinas/os, tímidas/os, ensimesmadas/os) acataram as "regras" impostas por Pais e Professores e, sem recurso a outra coisa que não o seu Saber e a sua Inteligência, se tornaram Grandes Mulheres e Grandes Homens, colocando esses mesmos méritos ao serviço da sociedade?
Como escrevi, isso nada tem a ver com nascer-se em "berço de ouro, prata, cobre ou palha". Os meus Pais, eram medianamente remediados, mas cedo me ensinaram o que podia ou não podia ter, como podia ou como não podia ter!
O único trauma que me causaram, foi a sua sempre extemporânea partida deste Mundo!
Não tenho filhos (a Sara, faleceu sete minutos após a nascença, por erro médico), mas o legado que lhes deixaria seria o mesmo que recebi: Honestidade, Humildade, Perseverança, Fé, Sã Combatividade, Força da Razão e não razão da força...
Alguém se lembra do que isso é? Duvido!


Comentar post

Sempre na hora certa
anti-corrupção
Visitantes desde Maio 06
Acordo Ortográfico
Prémios recebidos
ThinkingBlogger blog com tomates
Visitantes on-line
online
Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

Obituário (1): faleceu o ...

De mim, para todos...

Poupança ou... desperdíci...

Já assinou?

Mais uma derrota... que n...

Mais uma derrota... que n...

"Despachados" e secretari...

Até a(s) barraca(s) abana...

Levantando um pouco do vé...

A "importância" do PDM-Oe...

Perguntar, não ofende...

Fim das sondagens sobre o...

29 de Setembro, no Municí...

Até já!

Por esta, muito menos... ...

Por esta, não esperava eu...

Fiquei com uma dúvida...

Revisão do PDM de Oeiras

Apagar o fogo com... gaso...

Isabel Sande e Castro: a ...

Ai João, João...

A "importância" do PDM-Oe...

Ainda o PDM: BE questiona...

PDM Oeiras já está em dis...

"Palavra, depois de dita....

Há cada mistério...

Desfeito o "mistério"...

Esta, sim, é uma excelent...

Temos candidato à Junta d...

Vou Cabo Verde

Ou és por mim...

Arquivos

Agosto 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Outubro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Links aconselhados
Mais sobre mim
Meteorologia
     
Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
RSS