Segunda-feira, 25 de Maio de 2009
Resposta à resposta...

Esta carta, estava guardada para publicação neste blog; não estava esquecida...

Como vêm surgindo alguns comentários e e-mails para o meu endereço pessoal a perguntarem do que trata, podem agora lê-la na íntegra!      Aqui, em PDF.

Culmina, para já, uma série de reposições de verdades necessárias, por parte de um grupo de Militantes que não se deixaram subjugar por "cantos de sereia", preferindo manter-se fiéis ao Partido Social Democrata.

A despropósito: já falou hoje com o "seu" vereador?

Votos de boa semana de trabalho, se for o caso...



Publicado por rui.freitas às 01:47
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

6 comentários:
De cudeoeiras a 26 de Maio de 2009 às 08:59
Amigo Rui,
sabes que a humanidade divide-se em dois géneros, para além dos meninos e das meninas: há os lambe-cus, e há aqueles cujas papilas gustativas não toleram o confronto sensorial directo com o streptococus vulgaris.(Não confundir com “Cu de Oeiras!”).
A divisão não é equitativa. Os lambe-cus são, nitidamente, a maioria vigente.
Está veladamente convencionado nesta sociedade que «lamber um cu diariamente, garante um futuro polivalente». É uma forma de investimento a prazo.
Quem lambe um cu está convencido que, embora o sabor não seja nada por aí além, a coisa vale o esforço que daí advém. O cu lambido é normalmente grato, e o acto de lambecuzice raramente fica em cu alheio.
É importante referir que, para quem lambe cus, é perfeitamente indiferente o cu que está a lamber. É uma questão de fé que roça os critérios dos apostadores de cavalos: só se lambe um cu porque se tem fé que esse cu vale a pena lamber, porque vai dar algo a ganhar.
Lamber cus é um acto de fé completamente enviezado. Daí que seja extremamente fácil desatar a lamber outro cu qualquer, por dá cá aquela palha.
Para o lambe-cus, paradoxalmente, o importante não é lamber um cu em particular. É a aleatoriedade da coisa que dá riqueza ao acto e que aumenta a possibilidade de, um dia, deixar de lamber cus para ter o seu próprio cu lambido. Daí que se lambam cus de muitos quadrantes e de variadas influências. O cu é uma lotaria. Nunca se sabe ao certo qual é o que dá prémio. Portanto o lema é lamber indiscriminadamente.
É por essas e por outras que existe aquele ditado: «Quem tem cu tem medo». E se não tem, devia ter.


De rui.freitas a 29 de Maio de 2009 às 01:24
Amigo Boavida, admito que é uma forma como outra qualquer de "rotular" a situação expressa no post. Diferente, corrosiva, mas talvez seja mesmo assim!
Tenho vindo a aprender que, em certos momentos da nossa vida, temos mesmo de encarar as coisas dessa forma.
Portanto, aceito e, em certa medida, concordo com o teu comentário.
Um abraço,


De Carlos Silva a 28 de Maio de 2009 às 23:04
Meu caro Rui Freitas: respeitando a sua opinião sobre a lealdade que devemos ter ao Partido Social Democrata, garanto-lhe da minha parte que a minha fidelidade é a Oeiras. Se a "Nacional" decidir mandar um(a) "páraquedista" a minha fidelidade ao PPD/PSD vai-se, não aceito que me "impinjam" qualquer um(a) sem perguntarem a aminha opinião. A Distrital e a CPN deveriam fazer o que foi feito em 2005 nas duas Secções: Assembleia de MIlitantes com os nomes de Helena Lopes da Costa e Pedro Simões a serem escolhidos por voto secreto! Fidelidade a qualquer preço ao PSD? Nem pensar!


De rui.freitas a 29 de Maio de 2009 às 01:34
Caro Companheiro Carlos Silva,
Em primeiro lugar, agradecer o seu franco comentário au qual, como os anteriores, irei responder com todo o gosto.
Só que, ao ler o seu "blog" "Portugal Encurralado", deparei-me com esta passagem:
"A líder do PSD e seu séquito tem ignorado o excelente trabalho que a Comissão Política da Secção de Oeiras tem desenvolvido em prol da unidade do Partido."
Perante esta afirmação elogiosa a quem tem feito de tudo para desunir, ostracizar, dividir, menosprezar e fazer passar por "traidores" aqueles que pretendem e acreditam ser possível fazer Política Séria a Sério (eu, pelo menos, acredito), deixa-me pouca "margem de manobra" para ir mais fundo e mais longe.
Mesmo assim, explicar-lhe-ei melhor o meu ponto de vista da situação descrita nos comentários que acima deixou.


De Carlos Silva a 31 de Maio de 2009 às 01:03
Caro Rui Freitas,
Não sou ingénuo, acredito que há um efectivo interesse da Secção de Oeiras em unir o Partido na sua área de jurisdição. Que não há diálogo com Algés, é um facto, que Algés não dialoga com Oeiras, é outro facto indesmentível. Como agir?
Teremos de ser todos, eu, você, a Isabel, a Maria, o Manuel , o Armando, etc. a interferir, a exigir diálogo e concertação. Como? Neste momento fazer uma petição ou abaixo-assinado para que as 2 Secções se reúnam sem condições prévias, com ordem de trabalhos aberta, sem rigidez... Acho também (e di-lo-ei em próxima Assembleia de Oeiras) que os corpos dirigentes de ambas as Secções se deverão demitir após o acto autárquico se os resultados forem confrangedores e de total esmagamento do PPD /PSD. Como referi anteriormente, as culpas não podem/devem ser exclusivamente assacadas a Oeiras, a Distrital e a Nacional são as principais culpadas. De mim, contra si ou contra outro companheiro jamais ouvirá uma palavra insultuosa, todos somos poucos para reerguer o PPD /PSD, seja com Alexandre Luz ou qualquer outro que queira encabeçar tão árdua tarefa. Ainda sobre a afirmação que aqui fiz sobre o meu voto em Nuno Linares para a JF de Paço de Arcos, se Rui Freitas fosse o candidato o meu sentido de voto seria precisamente o mesmo: PPD /PSD!


De Heterónimo de Sousa a 30 de Setembro de 2011 às 11:00
É o concelho que temos...


Comentar post

Sempre na hora certa
anti-corrupção
Visitantes desde Maio 06
Acordo Ortográfico
Prémios recebidos
ThinkingBlogger blog com tomates
Visitantes on-line
online
Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

Obituário (1): faleceu o ...

De mim, para todos...

Poupança ou... desperdíci...

Já assinou?

Mais uma derrota... que n...

Mais uma derrota... que n...

"Despachados" e secretari...

Até a(s) barraca(s) abana...

Levantando um pouco do vé...

A "importância" do PDM-Oe...

Perguntar, não ofende...

Fim das sondagens sobre o...

29 de Setembro, no Municí...

Até já!

Por esta, muito menos... ...

Por esta, não esperava eu...

Fiquei com uma dúvida...

Revisão do PDM de Oeiras

Apagar o fogo com... gaso...

Isabel Sande e Castro: a ...

Ai João, João...

A "importância" do PDM-Oe...

Ainda o PDM: BE questiona...

PDM Oeiras já está em dis...

"Palavra, depois de dita....

Há cada mistério...

Desfeito o "mistério"...

Esta, sim, é uma excelent...

Temos candidato à Junta d...

Vou Cabo Verde

Ou és por mim...

Arquivos

Agosto 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Outubro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Links aconselhados
Mais sobre mim
Meteorologia
     
Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
RSS