Sábado, 12 de Maio de 2012
Arquive-se... por prescrição!

Hoje, mais uma vez, Isaltino Morais foi notícia no "Sol", graças a uma decisão mais do que esperada: prescreveu e foi arquivado o crime provado de corrupção de que vinha acusado e que tanta polémica suscitou.

Um processo que se arrastou no tempo, certamente com pesados custos para a Justiça portuguesa (que o mesmo é dizer: para todos nós, é evidente...) e que só veio provar - caso tal fosse necessário - que, neste "rectângulo à beira-mar plantado", existem duas "justiças"; uma para ricos e poderosos (os exemplos são já incontáveis) e outra para pobres e sem advogados bem pagos. Como ainda ontem frisou - e bem - a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz.

Permitam-me abrir aqui um parêntesis, por forma a que fique claro (para quem não saiba, o que duvido...), que tenho esta Senhora na mais elevada estima e consideração, acreditando que, muito em breve, do seu Ministério sairão medidas mais consentâneas de combate ao regabofe instituído. Dito isto, podem vir então os vossos viperinos comentários!

Voltando ao "caso" Isaltino Morais, tenho para mim que já tudo foi dito, escrito e propagandeado.

Assim, deixo-vos apenas algumas linhas mais, para dizer, em primeiro lugar, que foi o próprio Edil de Oeiras quem saiu mais "queimado" em todo o processo. É certo que os seus fiéis e interesseiros (nem todos, claro) seguidores "rasgarão as vestes", propalando aos sete ventos que, afinal, a Justiça deu razão à "inocência" de Isaltino Morais.

Não, não deu; bem antes pelo contrário! O crime de corrupção (entre outros) fico claramente provado; acontece é que, graças a expedientes permitidos pela legislação e conhecidos de advogados bem pagos, o processo andou em bolandas, com recursos atrás de recursos, terminando (nesta parte) como se esperava: a prescrição!

Daí que queira terminar com uma pergunta muito singela e que, certamente, quem não tem "rabos de palha" perceberá perfeitamente:

Se estivesse efectivamente inocente, não seria do interesse do acusado que se viesse a provar, de facto, que a acusação não tinha fundamento e que a sua inocência estava acima de qualquer suspeita? Desta forma, apenas fica para os anais da história oeirense que, apesar de culpado, por tal não foi punido.

Eu, se estivesse na sua pele, era o que faria. Seria o primeiro a exigir que tudo, mas mesmo tudo ficasse esclarecido!



Publicado por rui.freitas às 01:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

21 comentários:
De rui.freitas a 13 de Maio de 2012 às 04:18
Caros "Os 3 Mosqueteiros de Oeiras", eis um comentário em que, nos três primeiros parágrafos estou totalmente de acordo convosco. Discordo, se me permitem, do último: Isaltino só será uma carta fora do baralho, quando ele quiser!
2013 é já "ao virar da esquina" e não posso esquecer que ele continua a ter bem controlados e curtos os cordelinhos em Oeiras, dominando não apenas os apaniguados IOMAF (ou AOMAF...) como também os do PSD/Oeiras e PS/Oeiras... com alguma dúvida minha se também não fará o mesmo com o PCP/Oeiras! Vereador sem pelouro, com gabinete e secretária???
Quem esteve por detrás da "anunciada" candidatura de Santana Lopes? E, agora, de Moita Flores? E, certamente, de outros mais que irão surgir como "carne para canhão" até Outubro do próximo ano?
Isaltino e só Isaltino, através dos seus "yes men"... que são muitos, atentos e venerando-dependentes!


De Os 3 Mosqueteiros de Oeiras a 13 de Maio de 2012 às 08:25
Ó Rui só falei em carta fora do baralho em política de gente grande.Até para os seus novos amigos da música se tornou um homem de lastro muito dispendioso pois carrega com muita molecagem...


Comentar post

Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

Obituário (1): faleceu o ...

De mim, para todos...

Poupança ou... desperdíci...

Já assinou?

Mais uma derrota... que n...

Mais uma derrota... que n...

"Despachados" e secretari...

Até a(s) barraca(s) abana...

Levantando um pouco do vé...

A "importância" do PDM-Oe...

Perguntar, não ofende...

Fim das sondagens sobre o...

29 de Setembro, no Municí...

Até já!

Por esta, muito menos... ...

Por esta, não esperava eu...

Fiquei com uma dúvida...

Revisão do PDM de Oeiras

Apagar o fogo com... gaso...

Isabel Sande e Castro: a ...

Ai João, João...

A "importância" do PDM-Oe...

Ainda o PDM: BE questiona...

PDM Oeiras já está em dis...

"Palavra, depois de dita....

Há cada mistério...

Desfeito o "mistério"...

Esta, sim, é uma excelent...

Temos candidato à Junta d...

Vou Cabo Verde

Ou és por mim...

Arquivos

Agosto 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Outubro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Links aconselhados
Mais sobre mim
Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
RSS